Histórico da Oficina Literária Letras no Jardim

A Oficina Literária surgiu em maio de 2008 nos jardins de uma casa. Eram quatro escritores que discutiam seus escritos. O grupo foi crescendo e passamos a ocupar o auditório da Biblioteca Pública de Santa Catarina. Começamos a estudar os diferentes gêneros literários. Poesia, conto, crônica, romance, dramaturgia. Durante a oficina de dramaturgia surgiu o grupo de teatro da Cia.de Teatro Letras no Jardim que tem apresentado várias peças e o grupo do cinema que já produziu dois curtas metragens e um documentário. Estes mais experimentais. Com o passar do tempo começamos a contar histórias nas escolas da cidade e em outras regiões de Santa Catarina.

terça-feira, 19 de maio de 2009

DUALIDADE - Celso Rogério Kurtz

Ensina-me Senhor, a dobrar meus joelhos,
a aceitar tua ajuda

Sonda-me no meu adormecer
ensina-me a reduzir meu orgulho

Mostra-me que não sou o centro do universo,
habitante de um mundo fictício

Amolece esse coração, seco e arido,
carente da água da Vida

Aponta-me o caminho...
queria seguir com devoção e
alcançar teu perdão

Na bifurcação estou...
orgulhoso mas sofrendo as conseqüências da
tua ausência..

O que devo fazer?

domingo, 17 de maio de 2009

Mensagem do colega Julião - escritor da Ilha

Olá!

Depois de musicar um poema que fiz para o Estado de Santa Catarina, resolvi fazer um filme, com os recursos do meu PC e homenagear os 30 anos da RBS em Santa Catarina, que colocou no site.
Mandei direto pro Nelson, conhecido de Porto Alegre e Diretor-Presidente do Grupo RBS.
Fraterno abraço
Julião Goulart.
Assista:
http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/rbs30anos/19,0,2500558,Participe-da-comemoracao-dos-30-anos-do-Grupo-RBS-em-Santa-Catarina.html

domingo, 10 de maio de 2009

Mãe - Julião Goulart

Mãe que ama,
Mãe que ri,
Que ao filho chama
Vem cá guri

Mãe que chora,
Que defende o filho,
No perigo não se apavora.
E que nunca perde o brilho

Mãe protetora com amor
Que reza só, diante do altar.
Que tira os espinhos da flor
Que nos ensina a amar.

Mãe que protege os seus
Que tudo desculpa e entende
Que tem um pouco de Deus