Histórico da Oficina Literária Letras no Jardim

A Oficina Literária surgiu em maio de 2008 nos jardins de uma casa. Eram quatro escritores que discutiam seus escritos. O grupo foi crescendo e passamos a ocupar o auditório da Biblioteca Pública de Santa Catarina. Começamos a estudar os diferentes gêneros literários. Poesia, conto, crônica, romance, dramaturgia. Durante a oficina de dramaturgia surgiu o grupo de teatro da Cia.de Teatro Letras no Jardim que tem apresentado várias peças e o grupo do cinema que já produziu dois curtas metragens e um documentário. Estes mais experimentais. Com o passar do tempo começamos a contar histórias nas escolas da cidade e em outras regiões de Santa Catarina. Atualmente estamos na Casa da Memória - Rua Padre Miguelinho, 58 – Esquina com Rua Anita Garibaldi, atrás do Banco do Brasil da Praça XV, ao lado da Catedral de Florianópolis, no centro da cidade.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Curadoria e obras do III Encontro Latinoamericano de Artes e Letras

Como Curadora do III Encontro Latinoamericano de Artes e Letras posso dizer que a exposição de arte está composta de obras que transitam entre o surrealismo, grafite, figuras do cotidiano, do folclore da Ilha de Santa Catarina, assim como de intervenções com materiais inusitados como o sagu e o macarrão. Mosaicos e esculturas em PVC completam o conjunto, assim como pranchas de surf desenhadas a mão pelo artista. Telas pintadas em seda se intercalam entra as obras ao serem penduradas pelos suportes de madeira e Uruguai, Chile, Argentina, Peru e Brasil mostram que a arte continua a ser o elo de ligação entre os povos e suas manifestações culturais. Escritores presentes deixaram suas crônicas, contos, poesias e pesquisas para serem admiradas pelos leitores que visitam o hall de entrada da Biblioteca Pública de Santa Catarina. É uma honra fazer parte deste grupo de artistas, escritores e pesquisadores.
Milka Plaza  - Mestre em Arte Educação, artista plástica e escritora – Membro da Academia de Letras do Brasil, Academia de Letras de Palhoça e da Academia Boituvense de Letras e Artes (Boituva/ SP).

Todas as obras expostas estão à venda. Quem quiser adquirir deve visitar o local e entrar em contato por meio do email:

letrasnojardim@gmail.com



terça-feira, 30 de agosto de 2016

III Encontro Latinoamericano de Artes e Letras

Em nome da Diretoria da Oficina Literária Letras no Jardim, do DETER e da Biblioteca Pública de Santa Catarina , fazemos o convite para prestigiar a abertura solene do III Encontro Latinoamericano de Artes e Literatura promovido pela Oficina Literária Letras no Jardim com sede em Florianópolis, em que artistas e escritores de países como Brasil, Argentina, Uruguai, Perú e Chile irão apresentar seus trabalhos. Esta iniciativa busca integrar cada vez mais artistas, escritores, poetas, artesões, bailarinos, músicos, teatrólogos e escultores latinoamericanos. Trata-se de uma espécie de nova semente germinando através de um movimento artístico independente que busca promover a arte popular de América Latina. Daí a importância desta iniciativa que ocorre em Florianópolis, estado de Santa Catarina (Brasil), já a partir do dia 05 de setembro de 2016. No dia 5 de setembro, haverá no Hall de entrada da Biblioteca Pública de Santa Catarina, centro, Florianópolis, SC, a montagem estrutural com obras de artistas plásticos e estandes para que escritores participantes possam divulgar suas obras. Este evento será realizado também no Espaço Cultural Rita Maria, localizado no Térreo do Terminal Rodoviário Rita Maria. Este ano faremos homenagem ao artista plástico e escritor Donato Ramos, pela grandiosidade de sua obra que transita pelas artes, literatura e radiodifusão.

A curadoria é da artista, escritora e arte educadora Milka Plaza.

A abertura do evento será no dia 5 de setembro às 18:30h, no Hall de entrada da Biblioteca Pública de Santa Catarina, rua Tenente Silveira 343, Centro de Florianópolis. O evento terá duração de um mês, sendo que nas terças e quintas haverá encontro com artistas e escritores que apresentarão seus trabalhos no Espaço Cultural Rita Maria das 15:00h às 17:30h.



quinta-feira, 21 de julho de 2016

Simbolismo

Introdução 
 O simbolismo foi um movimento que se desenvolveu nas artes plásticas, teatro e literatura. Surgiu na França, no final do século XIX, em oposição ao Naturalismo e ao Realismo.
 Principais características do Simbolismo
 - Ênfase em temas místicos, imaginários e subjetivos;
 - Caráter individualista;
 - Desconsideração das questões sociais abordadas pelo Realismo e Naturalismo;
 - Estética marcada pela musicalidade (a poesia aproxima-se da música);
 - Produção de obras de arte baseadas na intuição, descartando a lógica e a razão;
 - Utilização de recursos literários como, por exemplo, a aliteração (repetição de um fonema consonantal) e a assonância (repetição de fonemas vocálicos).
 Simbolismo no Brasil
 No Brasil, o simbolismo teve início no ano de 1893, com a publicação de duas obras de Cruz e Souza: Missal (prosa) e Broquéis (poesia). O movimento simbolista na literatura brasileira teve força até o movimento modernista do começo da década de 1920. 
 Principais artistas simbolistas
 Literatura internacional:
 - Charles Baudelaire – autor da obra As flores do mal (1857) que é considerada um marco no simbolismo literário.
 - Eugênio de Castro - poeta simbolista português.
 - Camilo Pessanha - um dos mais importantes poetas do simbolismo em Portugal.
 - Arthur Rimbaud
 - Stéphane Mallarmé
 - Paul Verlaine
 Literatura brasileira:
 - Cruz e Souza/  - Alphonsus de Guimaraens
 Artes Plásticas:
 - Paul Gauguin/ - Gustave Moreau/ - Odilon Redon/
Teatro

- Maurice Maeterlinck/ - Gabriele d'Annunzio

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Simbolismo

Começamos a estudar o simbolismo nas artes e letras. Em nosso primeiro encontro vimos as poesias de Pablo Neruda e Cruz e Sousa.
O que é o Simbolismo?
A partir de 1881, na França, poetas, pintores, dramaturgos e escritores em geral, influenciados pelo misticismo advindo do grande intercâmbio com as artes, pensamento e religiões orientais, procuram refletir em suas produções a atmosfera presente nas viagens a que se dedicavam.
Marcadamente individualista e místico, foi, com desdém, apelidado de "decadentismo" - clara alusão à decadência dos valores estéticos então vigentes e a uma certa afetação que neles deixava a sua marca. Em 1886, um manifesto trouxe a denominação que viria marcar definitivamente os adeptos desta corrente: simbolismo.




Café com Letras

A Associação Oficina Literária Letras no Jardim realizou no mês de Julho o "Primeiro Café com Letras no Café Kairós". O objetivo foi unir artistas e escritores num sarau literário em que poesias foram lidas e músicas ouvidas. Além disso houve sorteio de livros, obras de artes e outros brindes.












quinta-feira, 12 de maio de 2016

Ano de 2016

Começamos a mil este ano. Ansiosos por novas atividades já passamos pelo romantismo nas letras e artes e agora pelo Parnasianismo. O que é isso?



O parnasianismo é uma escola literária ou um movimento literário essencialmente poético, contemporâneo do Realismo-Naturalismo. Um estilo de época que se desenvolveu na poesia a partir de 1850, na França, com o objetivo de retomar a cultura clássica.
Origens
Movimento literário que se originou na França, representou na poesia o espírito positivista e científico da época, surgindo no século XIX (19) em oposição ao romantismo.
Nasceu com a publicação de uma série de poesias, precedendo de algumas décadas o simbolismo uma vez que os seus autores procuravam recuperar os valores estéticos da antiguidade clássica. O seu nome vem do Monte Parnaso, a montanha que, na mitologia grega era consagrada a Apolo e às musas.
Caracteriza-se pela sacralidade da forma, pelo respeito às regras de versificação, pelo preciosismo rítmico e vocabular, pelas rimas raras e pela preferência por estruturas fixas, como os sonetos. O emprego da linguagem figurada é reduzido, com a valorização do exotismo e da mitologia. Os temas preferidos são os fatos históricos, objetos e paisagens. A descrição visual é o forte da poesia parnasiana, assim como para os românticos são a sonoridade das palavras e dos versos. Os autores parnasianos faziam uma "arte pela arte", pois acreditavam que a arte devia existir por si só, e não por subterfúgios, como o amor, por exemplo.
O primeiro grupo de parnasianos de língua francesa reúne poetas de diversas tendências, mas com um denominador comum: a rejeição ao lirismo como credo. Os principais expoentes são Théophile Gautier (1811-1872), Leconte de Lisle (1818-1894), Théodore de Banville (1823-1891) e José Maria de Heredia (1842-1905), de origem cubanaSully Prudhomme (1839-1907). Gautier fica famoso ao aplicar a frase “arte pela arte” ao movimento.

Referencias:
·         AZEVEDO, Sanzio de. Parnasianismo na poesia brasileira. Fortaleza: Ceará University, 2000.




Realizamos o aniversário de oito anos de nossa Associação na Casa da Memória que gentilmente cede espaço para nossas atividades já que o Espaço Cultural, antiga sede de nossas reuniões, está em reformas.



















Continuamos com nossos estudos literários sobre o parnasianismo nas letras e artes







O grupo editorial do Jornal Letras Santiaguenses têm sido uma constante em nossas atividades literárias.