Histórico da Oficina Literária Letras no Jardim

A Oficina Literária surgiu em maio de 2008 nos jardins de uma casa. Eram quatro escritores que discutiam seus escritos. O grupo foi crescendo e passamos a ocupar o auditório da Biblioteca Pública de Santa Catarina. Começamos a estudar os diferentes gêneros literários. Poesia, conto, crônica, romance, dramaturgia. Durante a oficina de dramaturgia surgiu o grupo de teatro da Cia.de Teatro Letras no Jardim que tem apresentado várias peças e o grupo do cinema que já produziu dois curtas metragens e um documentário. Estes mais experimentais. Com o passar do tempo começamos a contar histórias nas escolas da cidade e em outras regiões de Santa Catarina.

sábado, 19 de julho de 2014

Inauguração da Biblioteca da Oficina Literária Letras no Jardim

Dia 18 de julho às 18:00h foi realizada a abertura da biblioteca da Oficina Literária Letras no Jardim no Espaço Cultural Rita Maria, no segundo piso da Rodoviária de Florianópolis. Colegas escritores, amigos e familiares estiveram presente. Contamos com a interpretação belíssima do músico Osmar Quiñonez que interpretou lindas melodias com sua harpa. Ivonita di Concílio cantou em espanhol o que parecía ser uma milonga (parente do tango); Amara Martino se inspirou na melodia da harpa e realizou uma performance improvisada a qual lembrava os movimentos soltos de Isadora Duncan (bailarina norteamericana que dançava livremente ao compasso da música); Paulo Berri leu um soneto de Milka Plaza que na ocasião relançou o livro de poemas e contos "Ao som do mar", sendo acompanhado pelo som da harpa.
A seguir, fotos do momento e a finalização com o poema criado nessa noite especial pelo poeta Paulo Berri.























Escritores de vários grupos literários e Academias nos prestigiaram como Academia de Letras e Artes de Florianópolis, Academia de Letras do Brasil seccional Florianópolis, Associação Literária de Florianópolis, Academia de Contadores de Histórias do Brasil, Academia Alcantarense de Letras, Academia de Letras de São José, Academia Desterrense de Letras, Academia de Letras de Nova Trento, Associação dos Contistas, Poetas e Cronistas de Santa Catarina e escritores como Elena Lamego, Carmem Tridapali, Maria da Graça Fornari, Paulo Berri, Claudete Terezinha da Mata, Amara Martino, Inês Carmelita Lohn, Susana Zilli de Melo, Ivonita di Concílio, Donato Ramos, Giovanna Mazzaro, Milka Plaza, Claudia Silva Amado e Katia Rebello.

A seguir o poema do escritor Paulo Berri escrito essa noite.
(re) Nascedouro

O Movimento disforme
                            Em si
Desperta o que aguarda por existir...
Encubado N´alma
Estanca a ferida
                           Chamada inércia
Faz palpitar o acaso
Outrora silente
E como que – num lampejo discreto
         RENASCE  -  REFAZ
Num OUSAR necessário
Porque é na ousadia do Novo
         O nascedouro do combustível
                   Que refreia a morte
# Inspiração dupla: o poema lido pelo Zezeca (João José Pereira) e a dança improvisada de Amara Martino.  Obrigado!

Paulo Berri.


Um comentário:

Paulo Berri disse...

Grande Milka,
Mais uma mas muitas de suas realizações!!! PARABÉNS! Fico mto feliz por ter estado presente e desfrutado de tão belas companhias! UMA NOITE MTO AGRADÁVEL!!!